O que é gravidez ectópica?

Também conhecida popularmente como gravidez nas trompas, ela pode ser confundida com uma gravidez comum, mas deve ser interrompida na grande maioria dos casos

Corpo & Saúde
regenesis-mulher-e-gestacao-gravidez-ectopica

O resultado positivo é sempre um momento de felicidade para as mulheres que desejam engravidar. Em alguns casos, porém, eles podem aparecer devido a uma gravidez ectópica.

Você sabe o que é a gravidez ectópica? Para tirar todas as dúvidas sobre esse tema, conversamos com a Ginecologista e Obstetra Dra. Daniele Gattás. Confira os  detalhes no artigo a seguir!

O que é gravidez ectópica?

“Gravidez ectópica é quando a implantação e o desenvolvimento do óvulo fecundado, que chamamos de ovo, acontece fora do útero, mais especificamente em algum lugar fora da grande cavidade do corpo uterino”, resume a Dra. Daniele

Segundo a médica, de 90% a 95% dos casos de gravidez ectópica ocorrem nas trompas uterinas, porém, ela também pode acontecer na cavidade abdominal ou mesmo em um local inadequado no próprio útero, como no corno uterino, no colo do útero ou na cicatriz de uma cesárea.

Gravidez ectópica pode dar certo?

Infelizmente, em praticamente todos os casos, a gravidez ectópica precisa ser interrompida.

“Existem relatos de literatura de gestação ectópica abdominal em que o bebê se desenvolve dentro da cavidade abdominal, mas são casos muito raros. Na grande maioria, essa gestação não tem futuro. Vai chegar um momento em que esse saco vai romper e aí a gente ter que realmente tratar a paciente para não perdê-la”, diz a médica.

Como é feito o diagnóstico da gravidez ectópica?

O primeiro passo é realizar o exame beta HCG e, em caso de resultado positivo, fazer um ultrassom endovaginal.

“Quando o beta HCG está acima de 1.500, o saco gestacional já deveria ser encontrado na cavidade uterina. Se isso não acontece, ele existe, mas está em outro lugar. Em algumas exceções raras, pode não ser tão fácil assim localizá-lo pelo ultrassom, então lançamos mão da ressonância nuclear magnética pélvica”, explica.

Quais são os sintomas da gravidez ectópica?

Os sinais clínicos de uma gravidez ectópica costumam se manifestar após o rompimento da trompa uterina. Até esse momento, a grávida apresenta apenas os sintomas típicos do início da gestação.

“O saco gestacional que está implantado na trompa começa a crescer, até o momento em que a trompa se rompe. Quando isso acontece, a paciente tem uma dor pélvica lancinante e também sente uma cólica mais forte, como se fosse de abortamento”, descreve Dra. Daniele.

Junto com a trompa, são rompidos também vasos sanguíneos, um quadro que pode levar a outros sintomas graves. “Quando esse sangue vai para a cavidade abdominal, a dor que era pélvica se torna generalizada e tão forte a ponto de causar náuseas e vômitos”, conta.

Outros sintomas causados pelo sangramento interno incluem palidez, aumento na frequência cardíaca e uma dor na escápula “a distância”, devido à irritação do nervo frênico.

Qual é o tratamento para a gravidez ectópica?

De acordo com a médica, a indicação de tratamento depende de vários fatores, como o tamanho do embrião, o estado da paciente, a experiência do serviço de saúde em que ela é atendida e o desejo reprodutivo da mulher.

“O tratamento pode ser conservador, que é o tratamento medicamentoso, ou cirúrgico, por meio de uma laparotomia ou por uma videolaparoscopia. Tudo vai depender da avaliação médica da paciente, sempre colocando a vida da mulher em primeiro lugar”, explica.

Quem pode desenvolver uma gravidez ectópica?

Segundo a doutora, têm mais chances de desenvolver gestação ectópica mulheres que:

– já tiveram uma gravidez ectópica;

– passaram por cirurgia tubária (por exemplo, pacientes que tentam fazer a recanalização das trompas após laqueadura);

– são inférteis e necessitam de FIV;

– têm histórico de doença inflamatória pélvica;

– têm endometriose;

– são usuárias de DIU;

– fizeram uso de pílula do dia seguinte;

– são fumantes.

É possível engravidar após uma gravidez ectópica?

Normalmente, sim. “Se, na cirurgia, foi necessário retirar uma das trompas, ela ainda é capaz de engravidar pela outra trompa. Se ela tiver de retirar a outra trompa devido a uma nova gravidez ectópica, ela ainda pode engravidar por meio de Fertilização in Vitro (FIV)”, conta a médica.

Caso a paciente tenha realizado o tratamento medicamentoso, é importante verificar o estado das trompas por meio de uma histerossalpingografia antes de tentar engravidar novamente.

Vale destacar que o diagnóstico e o tratamento rápido são cruciais para preservar a saúde da mãe que tenha desenvolvido uma gravidez ectópica. Por isso, compartilhe este artigo em sua rede e ajude a conscientizar mais pessoas para os sintomas dessa gestação.

Dra. Daniele Gattás - Obstetra e Ginecologista | Mulher e Gestação

Daniele Gattás é Obstetra e Ginecologista com residência no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), onde realizou mestrado e doutorado em Saúde Materno Infantil. É Professora Adjunta de Obstetrícia na Universidade Federal  de Pernambuco.

Foi diagnosticada com uma gravidez ectópica? Temos uma mensagem de esperança para você. E ela vem por meio da história de superação da influenciadora Erica Santos, que conta no vídeo abaixo como engravidou naturalmente mesmo com as duas trompas obstruídas. Confira:

logo-regenesis-premium-home

Regenesis é uma linha completa de suplementação com ciência para tentantes e gestantes.

O Regenesis Premium possui 600mg de Ômega-3, Metilfolato (a forma ativa do ácido fólico), 2.000 UI de vitamina D, Ferro além de outras 13 vitaminas e minerais.

Seu suplemento vitamínico durante a gestação!

Conheça a nossa linha de produtos e
encontre a farmácia mais próxima de você.

29-10-2021
cirurgia gravidez ectopica gravidez ectópica gravidez ectopica aparece no teste de farmacia gravidez ectópica evolui o que é gravidez ectópica quando aparecem sintomas gravidez ectópica sintomas gravidez ectópica tratamento gravidez ectópica
Gostou? Compartilhe com sua rede!

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments